Quantos likes merece esta foto?

Ninguém quer saber e o Facebook também não.

Quantos likes merece esta foto? Partilha se és do signo Balança!

De certeza que já passou por centenas de posts no Facebook com este tipo de pergunta. Parece “supostamente” uma boa ideia, porque apela à interacção dos seguidores. O Facebook vai estar atento a estes mecanismos de Engagement Bait, que não são mais que outras formas de fazer clickbait e, neste caso concreto, contribuem para sabotar o algoritmo do Facebook que valoriza o número de likes, comentários, partilhas. Mas não a qualquer custo.

Se utilizar este tipo de estratégia com frequência pode contar com uma diminuição do alcance da sua página.

Há vários tipos de Engagement Bait:

engagement-bait-1engagement-bait-2

Este tipo de estratégia remete-nos para a realidade do clickbait, uma prática, infelizmente muito comum nesta rede social, que se encontra sobretudo em muitas páginas de publicações noticiosas / revistas cor-de-rosa, onde o utilizador é manipulado por uma manchete sensacionalista que nada tem a ver com o conteúdo em causa. O click torna-se mais importante que o conteúdo: isto é o ruído do Facebook.

É impossível decifrar, por completo, as regras do algoritmo desta rede social. Mas existem três pontos que o podem ajudar na definição da estratégia da marca que gere no espaço digital:

– Facebook é, cada vez mais, um território pay-to-play que prioriza os conteúdos pagos. É

importante investirmos uma parte do orçamento digital da nossa marca em publicações pagas.

– Quem trabalha como community manager sabe que estar a par de todas as actualizações do Facebook é impossível. Apesar de todas as recomendações para uma boa gestão da sua marca e alterações do algoritmo, o melhor conselho que lhe podemos dar é este: testar, testar, testar. Vários tipos de conteúdos, em horas diferentes, várias dinâmicas de interacção.

– Com tantas listas de boas normas esquecemo-nos do essencial. O conteúdo. Se pensarmos bem, quando recorremos a estratégias de engagement bait – já para não falar da praga do clickbait – é porque o nosso conteúdo não é assim tão diferenciador. Se nos focarmos na qualidade e produzirmos conteúdos relevantes para o público que segue a nossa página vamos conseguir resultados surpreendentes.

Imagem do Cabeçalho: JESADAPHORN/GETTY IMAGES

Texto por: Milene Moreira.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s