Erros que todos cometemos no Instagram

O Instagram é a rede social do momento. Não há como negá-lo. E, como tal, há erros que (já) todos cometemos. Uns aprendem a lição, outros continuam a cair no mesmo erro. Reunimos alguns dos erros mais frequentes e que podem mesmo arruinar a reputação de qualquer um nesta rede social que já faz parte da nossa rotina diária.

O ‘auto-like’ não é uma opção. Quer dizer, o objetivo é interagir com os outros e, por isso, são eles que devem gostar das nossas publicações. Além disso, se estamos a publicar aquele conteúdo, em princípio, já gostamos dele. Por isso, não dês um “like” na tua própria fotografia.

Publicar fotos com pouca qualidade. Ou exageradamente editadas. Tentem arranjar um meio termo. Sendo o Instagram uma app que apela ao nosso melhor sentido, a visão, já ninguém gosta de ver fotografias com má resolução e com péssima qualidade. Mas desenganem-se todos aqueles que acham que é imperativo usar e abusar da edição das fotografias. O truque é aproveitar as aplicações de edição – o VSCO ou o Lightroom – para tornar as fotografias visualmente mais apelativas, sem deixarem de parecer naturais.

Não responder aos comentários. Uma das melhores formas de chegares a mais pessoas é, sem sombra de dúvidas, criar interação não só com aqueles que segues, mas também com os teus seguidores. Por isso, responde aos comentários que te fazem. E comenta os conteúdos de que mais gostas. Não te fiques apenas pelo “like”, porque não chega.

Não fazes stories? Não sabes o que estás a perder. Porque ter um perfil no Instagram é, mais do que atualizar o feed, usar e abusar dos stories, de manhã, à tarde, e à noite. Um storie do teu pequeno almoço, mesmo que seja apenas uma torrada, o átrio do teu local de trabalho, ou até mesmo da tua última ida à praia mais in, vão ser apreciadas pelos teus seguidores (vais dizer que não andas sempre em cima do acontecimento?). Mas calma, não queremos que afugentes os teus seguidores; tudo o que é demais enjoa.

Seguir demasiados perfis. E ter poucos seguidores. Na verdade, não existe um cálculo matemático que nos diga que devemos ter 1000 seguidores e seguir apenas 100 perfis. Nem o contrário. O problema é que quando estes números se invertem, damos a sensação que gostamos mais de andar a bisbilhotar a vida dos outros, e dar a conhecer muito pouco dos nossos dias.

Não publicar conteúdos regularmente. Mais uma vez, não existe uma regra que nos diga quanta publicações por semana, e a que horas é que devemos publicar; tudo depende do nosso público. Mas uma coisa é certa: a regularidade de publicação tende a contrariar o algoritmo, e quanto maior for a frequência de publicações no teu feed, maior é a probabilidade de chegares a mais pessoas. Uma dica útil: o ícone das Estatísticas permite-nos uma gestão pormenorizada do nosso público; mas só está disponível para perfis profissionais.

Não coloques um travão nas hashtags. É mesmo verdade, as hashtags permitem-te alcançar uma audiência maior e, por isso mesmo, não te limites a usar apenas uma. Ou pior ainda, não usar hashtags, de todo. Ainda assim, não precisas de chegar ao limite imposto pelo Instagram – 30 hashtags por publicação. Não te esqueças que “menos é mais”.

 

Texto por: Mariana Costa.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s